sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Eu devia tê-la fotografado!

Eu adoro quando tenho um desses rompantes e tomo decisões completamente intempestivas.

No dia 29 de julho de 2009 tomei uma delas: resolvi às 14h que às 19h embarcaria para o Paraná.

E decidi isso segundos depois de perguntar para o Diego, meu grande amigo, se ele topava viajar comigo e, sem hesitar, ele respondeu: “Eu vou!”. Eu não podia recuar… Então fui!

Mas antes corri muito para fazer as malas, pegar três metrôs lotados, comprar a passagem e conhecer a Luana.

Conhecer a Luana?

Sim. Enquanto esperava meu ônibus encostar à plataforma, eu conheci a Luana, de nove anos, que estava com o olhar mais triste desse mundo parada atrás de mim na fila do pão de queijo. Ela olhou curiosa para a foto do Michael na minha camiseta, como que perguntando “Quem é esse de sorriso tão lindo?”. (Sim, de repente tudo começou a ter a ver com o Michael).

E eu sorri para ela.
Ela não retribuiu o sorriso, mas eu insisti. Então dois segundos depois ela me perguntou para onde eu estava indo. Ela disse que estava indo morar com o pai e a madrasta e que estava triste porque não queria se mudar de São Paulo, deixando o tio e os primos.

Então eu disse a ela que ela poderia voltar um dia, se quisesse…

Ela agora estava disposta a conversar, mas sua tia a chamou antes que ela pudesse me responder qualquer coisa. Provavelmente ela não devia estar conversando com estranhos.

Paguei meu pão de queijo (que a essas alturas nem me interessava mais) e não me dei por vencida. Escrevi meu endereço no papel do pão de queijo e entreguei a ela com uma nota de dois reais. Então disse para a tia dela: “Ajude-a a me escrever uma carta quando ela chegar, eu quero muito saber como ela foi de viagem. A partir de hoje seremos amigas…”

E ela se foi…

Quando o ônibus dela saiu, eu me dei conta de que a minha máquina fotográfica estava na bolsa.

Eu devia tê-la fotografado…

Espero que ela me escreva um dia.

11/08/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário