terça-feira, 19 de março de 2013

Momentos!


Faltam poucas semanas para minha rotina mudar completamente, então tenho procurado curtir cada instante desses momentos comigo mesma, com amigos ou só com o marido. Sei que em breve isso vai mudar radicalmente e será perfeito também! O que estou vivendo é um momento muito único, cheio de expectativas, de ansiedades, mas também um momento de muita paz e harmonia. Fazia tempo que não me sentia assim tão plena.

Momentos só meus: Quando bate a preocupação com o parto e todas as mudanças que estão perto de acontecer, digo a mim mesma que as coisas vão ficar bem. Que eu posso fazer isso, que eu sou forte e capaz de lidar com isso tudo. Já fiz isso antes e foi maravilhoso. As lembranças, apesar de tanto tempo de distância entre uma gravidez e outra - 20 anos -, são todas de um momento muito mágico e feliz que eu vivi. Gosto de lembrar também que tenho um marido que me ama incondicionalmente, que sonhou com essa família e desejou muito esse filho junto comigo.  Tenho uma família linda e amigos que são verdadeiros anjos. Pessoas que estão me apoiando de uma forma inacreditável. Só tenho a agradecer por tanto carinho que Diego e eu temos recebido. Então procuro relaxar, ir mais devagar... Estou apreciando bem mais a beleza da vida e acho que estou pronta para esse mundo totalmente novo e lindo que me espera. 

Momentos com o meu Bebê: Eu digo a ele todos os dias o quanto nós o amamos e o quanto estamos felizes com a sua chegada. Digo que vou me empenhar em ser uma boa mãe, que além de tudo quero ser sua amiga, sua parceira e vamos todos aprender e crescer juntos. Eu toco músicas clássicas, as minhas preferidas e as preferidas do Diego para ele. Acaricio a minha barriga e fico prestando atenção em cada movimento que ele faz. Canto canções de ninar para ele ir reconhecendo a minha voz. Falo de todas as aventuras teremos juntos. Como vamos viajar, jogar e nos tornar uma família maravilhosa daqui a pouco tempo. Digo a ele que tudo vai ficar bem e que logo logo ele vai ser parte de uma família muito maluquinha e excêntrica, mas que já o ama muito!

Momentos com o meu amor:  Estou orgulhosa do homem que ele é e do pai que está se tornando. Quero estar para o resto dos meus dias, e além disso se além houver, ao lado dele. Eu não poderia ter feito melhor escolha. Acho que eu realmente não sabia o que era amor até encontrá-lo. Sua dedicação, seu amor e preocupação, tem me transformado numa pessoa muito melhor nesses últimos 4 anos. E eu também quero fazer isso por ele, quero amá-lo, confortá-lo, ser sua companheira e amiga, além de sua esposa e mãe do seu filho. Temos passado bastante tempo juntos nos finais de semana... às vezes só morgando o dia inteiro nos domingos e eu adoro a companhia dele. Eu sei que o Tomás vai amá-lo muito também. Esse bebê é uma criança que vai crescer num ambiente cheio de amor, ele será um ser amoroso com toda certeza. Fico imaginando as coisas que meus homens farão juntos, em como serão amigos... No quanto essa casa vai se encher ainda mais de felicidade e então meu coração fica aquecido e eu me sinto segura, como há tempos não me sentia.

Momentos com as minhas amigas e queridas da família: Ultimamente tenho passado algum tempo com meninas realmente especiais:

Alê: ela vem aqui em casa de vez em quando e conversamos sobre as coisas da vida. Apesar de tão jovem ela é uma garota vivida, passou por muita coisa e tem muita experiência. Gosto demais dela, sempre tem umas dicas ótimas, gosto muito das nossas conversas, de ir ao clube com ela e a Milly - filhinha dela de 8 anos. Ela me ajudou muito nas minhas tardes de solidão no segundo trimestre... Obrigada querida!

Amanda: minha cunhada querida, que tem sido uma tia super participante na vida do Tomás e na nossa. Tem sido uma amiga especial e não mediu esforços para fazer o chá de bebê mais legal e animado que eu já fui. Eu não poderia ter pessoas mais maravilhosas na minha vida do que essa família linda que o Diego me presenteou. Tomás terá avós incríveis, titios e primos que já o amam muito e não tem como não ser grata por isso. Eu os amo muito... cada dia mais!

Cris: há muito tempo se tornou uma irmã, nós nos conhecemos desde 2004/2005, e aos poucos se tornou uma pessoa imprescindível na minha vida. E ela se transformou em mais uma titia do Tomás instantaneamente.  Eu sinto o seu carinho, a sua dedicação e preocupação com ele e comigo. Ela tem sido um anjo bom: sempre por perto, sempre atenciosa e isso se estende à família dela também. Queridos que há muito adotoram a mim e ao Diego. Adoro estar entre eles nos almoços de domingo, nos papos com os pais, a irmã e o cunhado da Cris. Vivendo longe da nossa própria família, eles têm sido a nossa família paulistana e eu os amo muito! E a Cris, claro, está organizando um novo chá "paulistano" para o Tomás.

Mércia: minha cunhada número um! Ela foi a minha primeira cunhada e desde que começou a namorar o meu irmão nos tornamos grandes amigas. Isso foi em 1995. Desde então eu não consigo imaginar a minha vida sem a sua presença amiga. Tão centrada, pronta para ajudar no que for preciso. É uma das pessoas mais bondosas e generosas que eu conheço. Ela tem sido maravilhosa comigo: está sempre por perto, sempre dando dicas e conselhos... Ela e meu irmão foram os maiores incentivadores para que eu engravidasse e ambos, junto com os meus sobrinhos, têm feito esse meu momento ser mais fácil, me ajudando em tudo!

Thaís: é minha prima, minha irmã, minha amiga... morro de saudades dela todos os dias! Ela me liga sempre e ficamos horas e horas e horas no telefone... mesmo longe ela participa de tudo e tem sempre uma energia boa para me passar.

Ju: minha irmã caçula... mesmo morando tão longe está sempre por perto, nos falamos todos os dias pela internet. Graças a ela não me sinto só ou tão longe da minha família. Ela me coloca a par das novidades e é para ela que eu conto tudo o que estou fazendo: enxoval, decoração... ela tem sido uma irmã muito bacana!

Tetê: minha amiga querida e companheira para os chás da tarde, a matinê no meio da semana, bater pernas nas lojas... tem sido uma companhia incrível! Adoro estar perto dela. Tem um astral muito bom e faz as minhas tardes muito mais felizes!

Cíntia: fazia um tempão que não nos víamos, mas nos reencontramos e foi perfeito - definitivamente 2013 é o ano dos reencontros - conversamos por horas e horas e tivemos uma tarde bem gostosa ontem. Sexta ela vem aqui em casa para fazermos cupcakes e eu sei que vai ser mais um dia gostoso.

Eu realmente sou uma pessoa privilegiada. Além dessas meninas lindas... muitos outros amigos queridíssimos se fazem sempre presentes, mesmo que seja pela internet. E eu amo cada um deles. Não dá para citar todo mundo, esse post ficaria imenso, mas eu realmente sou grata a cada um deles e eles todos sabem disso.

Eu quis fazer esse post, porque esses momentos estão sendo muito, mas muito especiais e importantes para mim... Precisava agradecer, precisava registrar!

quinta-feira, 14 de março de 2013

Menos 34 semanas!

:: A contagem regressiva começou. Pelos cálculos do médico faltam 6 semanas, porém depois de 36 semanas completas o bebê está oficialmente pronto. Isso significa que em menos de 3 semanas meu mocinho pode dar o ar da graça;

:: Essa semana adiantei algumas coisas importantes: busquei o carrinho e o trocador, que Tomás ganhou de presente. Mas essa lista infinita nunca termina, ainda vou precisar sair para ver algumas coisas...

:: Estou me sentindo bem, considerando os 7 kgs concentrados na minha barriga. Dores nas costas frequentes e incomodam, mas isso não é nada que o marido não pode consertar com uma bela massagem ou um banho quente;

:: E agora estou viciada no iogurte Kissy de abacaxi com coco ou de graviola. Parece néctar dos deuses. Mas estou me alimentando muito bem, comendo muitas frutas e salada. E nesse calor que tem feito não tenho tido vontade de mais nada além de sucos naturais bem gelados;
  
:: Eu sempre tive medo de parto normal, tenho até pesadelos com isso, mas agora quando ando sentindo medo até da cesárea... Sabe aquele friozinho na barriga? Eu só quero conhecer este pequeno logo! E quando penso nisso todo receio vai embora; 

:: Eu acho que meu mocinho não vai esperar 40 semanas. Minha barriga já baixou um pouco e as contrações de treinamento (ou de  Braxton-Hicks) já começaram.   Além disso ele já virou e está em posição de parto. Então o momento mágico de conhecer o meu pequeno, acredito estar bem mais próximo que 6 semanas;

:: O sono tá cada vez mais turbulento. Tenho levantado várias vezes para ir ao toalete ou mudar de posição. O bebê  não gosta de determinadas posições e não pensa duas vezes para empurrar, chutar, das socos e reivindicar mais espaço;

::  No meio disso tudo, minha queridíssima amiga Cris, resolveu fazer outro chá de bebê, para as amigas de Sampa... coisa íntima, para  amigas que moram mais perto . Será mais uma confraternização, pois faltam poucas coisas para o bebê;

:: E Tomás segue ganhando presentinhos: da vovó, da minha irmã Juliana,  dos amigos...

:: E eu não tenho feito muita coisa além de ESPERAR! Hoje tenho consulta vamos ver o que ele diz..

mais um suéter que eu terminei

toalhas bordadas presente da minha amiga Lena

um all star enormeeeee, vai demorar para servir, mas já ta garantido!

e o carrinho já tá montado, prontinho para levar o Tomás por ai. 

domingo, 10 de março de 2013

Ana Clara!



Ela tem cinco anos!

Mora no Goiás, como dizem por lá...
.
Meu irmão e minha cunhada me deram de presente!
.
Além de minha sobrinha, ela agora é a minha Fridinha!
.
Sempre tiramos fotos vestidas iguais...
.
É a menininha mais carinhosa que eu conheço!
.
Tem sorriso meio tímido e o abracinho mais gostoso!
.
Ela adora tomar banho junto com a tia... eu lavo ela, ela lava o meu barrigão de grávida!
.
Vê TV, faz desenhos no papel de caderno e gosta de cachoeira!
.
Ela é linda, a minha Fridinha!

Sinto saudade todos os dias!


sexta-feira, 8 de março de 2013

O tal dia da mulher!

"O Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.
No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado no início do século, até a década de 1920.
Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária.
Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e somente recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960. Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas.
Em 1975, foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres."

Fonte: Wikipédia


Bem, antes de mais nada devo dizer que sou completamente a favor de toda e qualquer luta humana por melhores condições, por justiça, por um lugar ao sol, por um mundo melhor...!

Dito isso, vamos lá...

Não vejo porque comemorar o dia oito de março, quando em pleno século XXI as mulheres continuam tão OU MAIS exploradas do que sempre foram. Essa data para mim não passa de mais uma apelação comercial que está longe, muito longe de seu real valor.

O que há para se comemorar nesse dia, quando as mulheres ainda hoje precisam levar o mundo nas costas? Quando a maioria esmagadora vive uma vida sufocada tentando equilibrar família, carreira, casa e interesses pessoais. A mulher ainda não conseguiu o seu tão sonhado espaço. Isso, para mim, só terá acontecido quando ela não precisar se desdobrar em mil e uma para dar conta de tudo o que lhe cobram.

A mulher precisa ser inteligente, ter uma carreira de sucesso, manter sua casa em ordem - depois de um dia exaustivo de trabalho -, educar filhos com honras ao mérito - qualquer deslize a culpa será eternamente dela - , estar bonita - ai dela se descuidar da aparência ou engordar -, ser sexualmente atraente e ativa. Não pode sentir dor, não pode se cansar, não pode reclamar, não pode sequer pedir ajuda. 

Me irrita vê-las se submetendo a essas exigências tão desleais. Muitas vezes se expondo como carne nos açougues, tentando parecer sempre maravilhosas, lindas, perfeitas, apetitosas e atraentes, na infeliz tentativa de mostrar ao macho que ela ainda é quem seduz. 

Me irrita muito vê-las todas fazendo mil coisas ao mesmo tempo: despejando seus filhos sonolentos às seis da manhã em creches - ou deixando que os pais os esqueçam no banco de trás do carro deles - , passando seus dias enfurnadas em escritórios dominados por machos prepotentes e hostis, sem ver ao menos a cor do céu, sendo a mais eficiente, a mais inteligente, a mais competente, para ganhar um terço do que o colega macho, da sala ao lado, ganha. Buscar o filho, que ela não viu comer, não viu andar, não viu falar, não viu crescer, às oito da noite e ainda pensar no jantar. Me irrita mais ainda vê-las achar que isso é sucesso!

Me irrita ver a dona de casa, que lava, passa, cozinha, arruma, limpa e faz a vida das pessoas andarem. Ela pode estudar, ler, escrever, pode ser inteligente o quanto for, educada, politizada, mas é tratada como uma criatura inferior porque não vai ganhar o prêmio de profissional do ano. Além de não ter o menor reconhecimento, por seus serviços prestados, de não ter um salário, muitas vezes ainda é literalmente agredida por marido e filhos. Me irrita vê-las sofrendo em silêncio e aceitando sua condição inferior como se isso fosse algo natural, já que ela não pode, ou não quis, ter uma carreira de sucesso e ganhar seu próprio dinheiro.

Me irrita ver essas mulheres, que não tiveram a chance de estudar, que cuidam dos seus lares e ainda de outros lares. Trabalham muito mais que as 8 horas diárias da CLT e ganham quase nada. Além de serem exploradas por patrões sem escrúpulos, muitas vezes são execradas dentro do próprio lar, ou simplesmente chamadas de dondocas preguiçosas.

Não tenho nada, absolutamente nada para comemorar no tal dia da mulher. Quando ainda vejo tantas delas, serem tratadas como lixo. Como uma mercadoria sexual, como uma empregada, como um ser inferior. Muitas nem se dão conta disso, dessa exploração, dessa exigência toda sobre elas.

Não posso comemorar o tal dia da mulher quando ainda existem grávidas sendo demitidas, por gente mesquinha e mau caráter, pelo simples fato de terem ficado grávidas. 

O que há para comemorar? Se a mulher ainda hoje não pode sequer escolher que rumo quer dar a sua vida?
Ou ela trabalha feito um burro de carga para ter um pouco de independência ou vive, muitas vezes, uma vida miserável, pois o homem, depois de tanta exploração e tanta confusão também perdeu o seu rumo. Não ganha mais o suficiente para que sua mulher pare de trabalhar, pelo menos por um tempo, para ser mãe, ou para fazer outras coisas. A mulher é obrigada a fazer jornadas duplas, triplas, quádruplas até para dar conta de tudo ou ter uma certa independência.  Acaba não fazendo bem nem uma coisa: ter uma carreira profissional de sucesso - já que não pode se dedicar completamente só a isso - e nem conseguindo manter sua casa em ordem - porque não tem tempo e nem condições de pagar para que alguém faça isso por ela.

Nãoooooo, por favor não pense que eu sou a favor do retorno da mulher ao lar. Não é nada disso!
O que eu acho é que a mulher devia poder escolher, e a maioria delas simplesmente não pode. Elas não têm escolha. 

Eu comemoraria feliz, aceitaria todas as rosas e felicitações do dia da mulher, se ela realmente tivesse escolha. Se aquela mulher que decidiu trabalhar fora, tivesse todas as condições justas para exercer sua profissão. Se ela ganhasse o que realmente vale e que pudesse se dedicar de verdade a isso, sem a carga da cobrança de todo o resto. Se ela ganhasse o suficiente para poder organizar sua vida de forma a ser uma profissional valorizada, tivesse tempo para ela e não vivesse à margem do homem no mercado de trabalho.

Daria pulos de felicidade quando a mulher, que decidisse ser mãe e cuidar do seu lar, não fosse vista como uma inferior. Que a sociedade não achasse inútil, que tivesse reconhecimento e meios de ser um ser independente apesar de não ter uma carreira profissional no mercado de trabalho. Que escolher ser mãe, esposa e dona de casa não fizesse dela um ser menor ou ser vítima de tanto preconceito.

Eu posso me considerar uma mulher privilegiada por ter um marido que me apoia e me incentiva nas minhas invencionices, por conseguir ser, pelo menos em casa, valorizada como acho que devo, mas ainda há muito o que melhor nesse mundo que me cerca. Há muito o que melhorar na vida fora de casa para que eu tenha o que comemorar. E eu comemoraria muito o dia da mulher se não precisasse existir coisas como "Lei Maria da Penha"! Que não precisassem de mulheres semi nuas, exibidas como troféus, em propagandas de carros ou de cerveja. Que não precisassem acordar duas horas antes para se maquiarem, botar saltos, fazer escova e despejar os filhos na creche para demonstrar serem competentes. Eu realmente comemoraria o dia da mulher, se não fosse apenas mais um dia para vendê-las.

Coisas que eu continuo amando...

 Família!

 Foto!

 Toscana!

 Felinos!

 Nói Due!

 Provence!

 Pegar Estradas!

 Final de Tarde da Praia!

 Amelices!

 Guardar Momentos!

 Fazer Crochê!

 Haagen-Dazs!

 Ver meu livro por ai...

 Ter amigos-irmãos!

 Chuva!

 Ter Sonhos!
 Ser Livre!

 Demonstrações de Afeto!

Sossego!

quinta-feira, 7 de março de 2013

Mural homenageia Oscar Niemeyer em SP


A cidade de São Paulo ganhou mais uma arte de Eduardo Kobra. Dessa vez, o artista coloriu um arranha-céu da Avenida Paulista com uma ilustração policromática de 52 metros de altura e de 16 metros de largura, do arquiteto Oscar Niemeyer, que faleceu em dezembro do ano passado com 104 anos.
Mais quatro artistas da sua equipe tiveram que se juntar para completar essa obra gigantesca que teve início em 14 de janeiro de 2013.
Fonte: Hypeness

terça-feira, 5 de março de 2013

Carinho Guardado!

Hoje recebi a visita da minha amiga de infância Célia! Depois de muitos anos nos falando apenas pela Internet, hoje finalmente nos encontramos.

E que delícia, rever uma amiga tão querida. Companheira de aventuras de toda minha infância.
Minha companheira de andanças de bicicleta, das coreografias das danças do Menudo, das confidências, segredos, fofoquinhas de adolescência.

São muitas recordações, muitas alegrias vividas juntas. E o mais legal? Tudo continua igual!

Nenhum constrangimento, nenhuma surpresa, nenhuma grande mudança no nosso jeito de ser e conversar.
Ela continua a mesma Celinha de sempre. O papo flui com a mesma empolgação da nossa adolescência.
No meio da conversa animada, ela tira um caderninho todo velhinho e me pergunta:
 - Você se lembra disso?
E me lembrei no mesmo instante do caderninho de recordações dela, de quando nós tínhamos 13 anos.
E foi muito engraçado reler aquela mensagem que deixei para ela há tantos anos, exatamente 28 anos!

"O tempo passa velozmente e quando você nem perceber sua juventude passará. Quando isso acontecer, lembre-se de mim que tanto a estima. Sei que um dia quando longe estivermos, lembrarei de você com muito carinho..."

E foi exatamente isso que aconteceu: o tempo passou velozmente... tínhamos 13 anos, parece que foi ontem, hoje estamos com 41 anos. Nossa juventude passou e nós nunca esquecemos uma da outra enquanto estivemos longe.

Então eu busquei a minha caixinha de recordações e mostrei a ela o cartãozinho que ela me mandou no natal do mesmo ano:



A vida é sempre uma caixinha de surpresas e 2013 tem sido um ano de deliciosos reencontros. Além da Célia, revi a Fabrícia e a Vera em janeiro, também amigas de infância. Hoje reencontrei também a Tetê, amiga de adolescência, que não via há uns 15 anos... Foi realmente uma tarde muito especial!

Eu, Tomás e Célia - março/2013

Tetê, eu e Tomás - março/2013

Fabrícia, eu e Vera - janeiro/2013

Meu Pé de Laranja Lima

Zezé (João Guilherme de Ávila) tem quase oito anos e vive com sua família pobre no interior. Ele é sensível, ele é precoce, ele é um contador de histórias: ele é um problema! Seu esporte favorito é transformar sua casa e a vizinhança em cenário para suas traquinagens. E elas não são poucas. Seu refúgio preferido é um pé de laranja-lima. É com ele que desabafa as coisas ruins que lhe acontecem, divide sua solidão ou comemora uma boa novidade, como a amizade com Manoel Valadares (José de Abreu), o “portuga”. Amizade que fará com que Zezé dê a Manoel um mundo de fantasias e criatividade que ele nunca imaginou possível.
Caco Ciocler e Emiliano Queiroz também estão no elenco.
Meu Pé de Laranja Lima estreia em 26 de abril.

Quero ver... quero muito!

Trailer Aqui!

Abacaxi + Coco

Meu novo queridinho!
O que é esse iogurte?
Uma delícia bem geladinho!

Pena que é uma edição limitada!
Espero que a Batavo reconsidere e o mantenha, pois é uma delícia!


D.E.L.Í.C.I.A!!!


Informações Nutricionais:

Porção de 200g (1 copo)Quantidade*%VD
Valor Energético153 kcal=643kj8
Carboidratos29g10
Proteínas4,6g6
Gorduras totais, das quais;2,1g4
Gorduras saturadas1,3g6
Gordura TransNão contém**
Gorduras Monoinsaturadas0,6g**
Gorduras Poliinsaturadas0,1g**
Colesterol6,3mg2
Fibra Alimentar0g0g
Sódio74mg3
Cálcio177mg18

* Valores diários com base em dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
** Não declarar.


domingo, 3 de março de 2013

Menos 32 semanas!


Ontem, tudo que eu conseguia pensar é que estou com 32 semanas de gravidez!

Isso significa que:
* O bebê agora está ocupando todo o espaço na minha barriga, mas isso não quer dizer que o mocinho anda menos ativo, pelo contrário: não pára mais quieto;

* Que Tomás agora está pesando quase 2kgs e tem mais de 6,7kg concentrados na minha pobre barriga... e  lembrando a pergunta que o Manech faz para a Matilde no filme Eterno Amor: "dói quando você anda?" eu respondo: "simmmm dói quando eu ando muito!";

* Significa que o Tomás já está pronto, só engordando (mais ainda?) e amadurecendo seu pulmãozinho para conseguir respirar sozinho, que ele já tem unhas nos pés, provavelmente tem cabelos e seus testículos estão indo para o lugar;

*Principalmente, significa que eu tenho apenas 8 semanas pela frente [mais ou menos isso, dependendo de quão teimoso o pequeno Tomás decidir ser]. 

Eu me sinto como um balão pronto para explodir. Fazia tempo que não me sentia tão pesadona, mas estou conseguindo me manter ativa. Tenho caminhado bastante, feito as coisas em casa e estou comendo direitinho.  Não estou tendo inchaços e graças a muito, mas muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito, óleo de amêndoas  nenhuma estria deu ar da graça. Só tenho sentido dores no pé quando caminho muito ou fico muito tempo de pé. 

Estou sentindo um turbilhão de emoções: excitação, ansiedade,  saudade de algumas coisas que não tenho feito mais - como correr ou usar jeans -, de antecipação, de felicidade e até mesmo alguma melancolia às vezes. Em um momento eu não posso esperar mais para conhecer o meu bebê e cobri-lo de beijos e de amor, e então no instante seguinte, penso que esta experiência bonita - chamada gravidez - a minha última experiência desse tipo, está quase chegando ao fim. E eu estou amando cada minuto único de estar grávida e sei que muito em breve vou perder definitivamente essa barriga, cada vez maior, e essas mexidinhas tão cúmplices!


em 32 semanas:
:: Comecei a perceber que as coisas simples estão se tornando cada vez mais difíceis: como apanhar algo que cai no chão, colocar os sapatos e tomar meio copo de água sem precisar correr para o banheiro. E claro!  Carregar qualquer coisa do mercado ou feira. Para minha sorte que aqui na vila - como em cidades pequenas de antigamente -  o Pão de Açúcar e o Empórium entregam em casa;

:: Aposentei de vez as calças jeans. Nem tanto pela barriga, mas por esse calor horrendo que tem feito. Nada de calças jeans ou legs para mim nesse momento;

::  Não tem como mais passar desapercebida. Por maior que seja a camisa, a barriguinha redonda está lá denunciando. Isso também significa mais paparicação de todos, incluindo qualquer desconhecido. Você não espera mais de um segundo por nada em qualquer lugar onde vá... Vou sentir imensas saudades disso!

:: Depois de apenas 3 meses de tranquilidade o médico resolveu - de novo!!!! - pedir todos aqueles infindáveis exames: de sangue, de urina, de coração, pressão, ultra-som e tudo que possa existir e uma grávida possa ser examinada. Tudo em nome do bom desenvolvimento do Sr. Tomás!

:: Minha cunhada fez um chá de bebê em Londrina, foi delicioso esse momento com a família. Agora as amigas de Sampa querem um chá aqui também...

::  Estou na reta final dos preparativos do quartinho, enxoval e roupas... Tomás ganhou muitos presentes, fico pensando se ele vai conseguir usar as roupas todas;

:: Estou mais sonolenta do que nunca, preciso de pelo menos uma horinha de sono toda tarde. Isso pode ser justificado pelas 3 vezes que levanto durante a noite para ir ao banheiro...

:: Meu umbigo está se segurando ainda, mas eu sinto que mais dias menos dias... PLOF!!! 
Ele salta de vez para fora...

:: Ontem recebi minha best friend Renata e D. Lurdes, mamãe dela. Foi um momento muito bom que passamos juntas. Fofocamos, fomos até o Parque e lembramos que temos que cuidar melhor do nosso blog - ela de férias e eu envolvida com minha pança - estamos muito relapsas com o nosso queridinho.

:: Em oito semanas, que  às vezes parecem eternidades, eu preciso resolver tudo o que tem pendente na minha lista de afazeres de grávida e me  preparar para esse mundo novo que em breve será só meu.



sexta-feira, 1 de março de 2013

Paraty!

Já fui para Paraty algumas vezes...
Todas as vezes lembranças especiais!

"Dia desses peguei a estrada e me mandei para Paraty...
Lá o céu estava bem azul, o dia claro, cheio de cores, aromas e sabores...
Lá o dia estava tranquilo e feliz" 2009

"Paraty é assim: 
Sair sem planos, sem reservas e rumo...
Acabar na Ilha do Cedro o mais distante de tudo que lembrasse carnaval.
Paraty é bem melhor com o meu amor.
Acordar antes de todo mundo e ter a cidade só para nós..." 2012

Paraty é um lugar para voltar sempre!