terça-feira, 12 de agosto de 2014

Dia desses no parquinho

Costumo levar o Tomás quase todas as tardes ao Parque, do Ibirapuera, ou então numa pracinha que tem pertinho de casa.

Numa dessas tardes chegamos no parquinho e demos de cara com uma garotinha linda, de uns 2 anos. Estava vestida dos pés à cabeça com coisas da Galinha Pintadinha. Devorava vorazmente um bombom e segurava na outra um pacotinho de bolacha recheada.

Tirei o Tomás do carrinho, tirei as meias dele, o soltei na areia e fui sentar para ler meu livro.

A garotinha foi se sentar num tapete repleto de baldinhos, pazinhas, bonecos, forminhas e mais um monte de quinquilharias... Obviamente o Tomás foi interagir. Mal chegou perto a menina começou a gritar: "não pega meus brinquedos!". Diante da recepção tão amistosa, Tomás deu meia volta e foi explorar outros cantos do parquinho.

Eu nem consegui ler nada. A garotinha, que mais parecia uma mistura de bebê de Rosemary e Exorcista, não parava de chorar, de gritar e atirar coisas na mãe dela.

O Tomás é um bebê bem sociável, mas brinca super bem sozinho. Naquele dia só tinha ele e a "oncinha" no parquinho, então ele ficou engatinhando, andando e explorando tudo à sua volta.

Coloquei ele algumas vezes para escorregar, deixei-o, como sempre, bem livre e à vontade.
Depois de mais um menos 1 hora e meia brincando ele começou a bocejar. Então eu o chamei e falei:
"Vamos pra casa fazer uma naninha?".
Ele estendeu os bracinhos e veio comigo sem a menor resistência.

Nisso, a mãe da garotinha estava juntando as coisas dela também para ir embora. Meu Deus do céu! A menina começou a chorar e gritar compulsivamente. Se contorcia toda, se atirava no chão, foi um horror.

Enquanto eu colocava o Tomás de volta no carrinho a mãe se aproximou de mim e puxou papo:

- Nossa! Eu estava reparando, seu bebê é muito calminho! Que sorte você tem, viu? A minha tá com 2 anos e eu já não sei mais o que fazer para ela se acalmar: já comprei tudo que é DVD pra ela assistir, sabe de cor todas as musiquinhas, já coloquei na aulinha de artes, de música, na natação, tudo para ver se ela gasta energia e sossega um pouco, mas não tem jeito, nem dormir mais à tarde, que ela sempre dormia, não dorme mais.

Eu apenas sorri amarelo...

Ela continuou:

 - Que idade ele tem?

Eu:

 - 1 ano e 3 meses!

Ela:

 - Você dá alguma coisa pra ele?

Eu:

- Como assim?

Ela: 

- Ahhh! Algum calmante, um chá?


Eu:

- Eu não, imagina! 

Ela:

- Mas o que você faz para ele ser assim tão calminho e bonzinho?

Eu:

 - Bem... Eu não estimulo muito ele. Deixo ele brincar a vontade, afinal tudo que tem à volta dele já é novidade e estímulo suficiente para ele que acabou de chegar. Ele nunca viu TV na vida dele, nenhum DVD e ainda nunca comeu açúcar... acho que é por isso.

Ela:

 - Mas nem a Galinha Pintadinha ele assiste?

Eu:

 - Não! Mas ele brinca no parque quase todo dia!


Ela:

 - Tadinho!


quinta-feira, 31 de julho de 2014

Geléia de Pera

 Atendendo a pedidos...

Geléia de pera é o que tem pra hoje:

Ingredientes: 
- 1kg de peras descascadas 
- 300g de açúcar
- 1 limão
Modo de preparo:
Corte as peras do tamanho desejado. Se você gosta de geleia com pedaços grandes, corte os pedaços grandes. Se você gosta de geleia mais tipo papinha, corte pequenininho ou ralado.
Importante: não tire as sementes e o miolo! 
Por quê? Porque a pectina, substância que faz a geleia engrossar e virar geleia, está em maior concentração no miolo!
Em seguida, adicione o açúcar e tampe a panela. Deixe cozinhando em fogo baixo até reduzir bastante e virar… geleia! 
Está pronto para servir! Você pode coar pra tirar as sementinhas. Pode até usar o mixer pra fazer purêzinho se preferir.


sábado, 14 de junho de 2014

Vai Brasil! Me faz sentir orgulho de novo!

É tão estranho como as coisas mudam tanto quando a gente cresce. Lembro de quando era mais nova. Copa do mundo era uma coisa tão legal!

Você juntava a família e os amigos e era aquela festa. Queria muito sentir toda aquela empolgação de novo, mas fica complicado ligar a tevê e esquecer tanta coisa suja acontecendo ao mesmo tempo em que a bola rola no gramado.

E não dá mais nem para confiar no jogo, no talento  dos jogadores e numa competição séria. É tanta roubalheira, tanta maracutaia que você tem dúvidas até se o jogo é mesmo pra valer ou apenas mais um jeito de nos enganar.

Acho que a última vez que me empolguei de verdade num jogo do Brasil numa copa foi em 1994. Depois disso surgiram tantas coisas: juízes e jogos comprados, jogadores que se vendem de tudo que é jeito. Tanta manipulação dos patrocinadores, dos organizadores, da mídia... não dá pra confiar em nada!

Uma copa no Brasil teria sido tão legal se eu ainda fosse aquela menina de 1994, mas hoje isso tudo parece tão errado, tão mal feito, tão nocivo a tanta gente. Como eu vou me vestir de verde amarelo, pendurar uma bandeira na minha sacada, comprar uma vuvuzela e acabar rouca de tanto pular e gritar, com tanta coisa feia acontecendo?

Como eu vou sair por ai cantando o orgulho de ser brasileira, se hoje em dia não tenho orgulho nenhum? Na verdade cada vez mais sinto vergonha de ver o meu país fazendo tanta coisa errada e sendo motivo de piadas constantemente para o resto do mundo. Que orgulho eu teria de ser brasileira com mães parindo seus filhos no chão em porta de hospital, com doentes recebendo medicação no chão como se mendigos fossem? Que orgulho essa gente têm de ser brasileira com tanta gente massacrada para esse evento acontecer. Meus avós de quase 90 anos, inclusive, foram praticamente despejados da chácara deles em Cuiabá, para ampliar o aeroporto por causa dessa droga de Copa do Mundo.

E então finalmente a copa começou. Mesmo com o coração tristinho, liguei a tevê e fui ver o "show" brasileiro. Mais decepção e vergonha. Uma apresentação horrível, talvez a pior abertura de copa do mundo de todos os tempos. Um jogo cheio de estrelinhas compradas... 

Lembrei da empolgação em casa quando o Osmar Santos narrava os dribles e jogadas do Dotô Sócrates e do Zico. Eu nunca tinha visto ainda o Brasil ser campeão do Mundo, mas aquilo sim era um show! Era tanta alegria em casa. Não sei se essas coisas horrorosas já aconteciam naquela época, provavelmente sim, mas a gente acreditava de verdade na seleção. A gente torcia de verdade, sofria de verdade e era feliz de verdade.

Mas então eu olho para o lado...
Vejo meu pequenino tão empolgado dançando feliz quando toca qualquer música da copa na tevê. Seus olhinhos ficam felizes e vibrantes quando o papai e os amigos gritam: "gooooolllllllll"!

Então eu penso que não posso tirar a alegria de alguém que acabou de chegar. Não tenho o direito de privá-lo dessa empolgação inocente. As coisas mudaram, mudaram muito, mas em nome da felicidade desses bebês é preciso continuar. E é preciso pensar em algo urgentemente para mudar os rumos da coisa toda. Então me lembrei que em outubro tem eleição! Desejo ardentemente que tenhamos uma chance de mudar isso tudo, para que o meu pequeno empolgado aqui em casa possa ter orgulho de verdade de ser brasileiro quando crescer.

 Olívea e Tomás - a felicidade deles não tem preço!
Vai Brasil! Faça nossos pequenos sentirem orgulho!

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Crianças francesas não fazem manha... será?


o livro

a leitura

um dia no parque com o pequeno...

garotinho mais lindo...

mais charmoso...

aiô silverrrr!

Sim, crianças francesas fazem manha!
Na hora de ir embora o brasileirinho não fez manha...
Já as amiguinhas francesas... deram show!

=)

terça-feira, 20 de maio de 2014

Fabiano


Nasceu quando eu tinha 6 anos, o conheci dias depois.
.
Minha mãe chegou com ele do hospital. Já era enorme e cabeludo!
.
Desde então somos irmãos e amigos.
.
Mesmo sendo mais novo, ele quem me protege hoje em dia!
.
Era baixinho e gordinho, hoje é grandão e magrelo!
.
Eu cuido dele e ele cuida de mim.
.
Já me deu dois sobrinhos lindos: Eduardo e Ana Clara!
.
É o meu único irmão menino!
.
Sinto saudades da nossa infância...

Sinto falta de tê-lo sempre por perto...

Sexta vou vê-lo por quatro dias! Ebaaaa!

Melhor irmão do mundo inteiro, melhor amigo... melhor abraço!

Ruella


Antiga inscrição no muro do Ruella...
Gostava tanto!





sábado, 17 de maio de 2014

O livro e o bebê

Terminei ontem a leitura gostosa de "Crianças Francesas dia a dia"! Um manual com algumas regras francesas de educação dos filhos. É bem bacana e descomplicado. Tem dicas ótimas que dá para aplicar sem problemas.
Acho que o maior empecilho para criar brasileirinhos comportadíssimos como os francezinhos é o fato de não estarmos na França. É fácil ter um filho educado onde todas as crianças são educadas. Complicado mesmo é manter seu tutuco elegante quando todas as crianças ao redor estão fazendo o maior auê.
Sem neuras dá sim para ter uma criança comportada a maior parte do tempo, mas ao mesmo tempo feliz e com pais tranquilos e desencanados. Educar com o coração acho que ainda é a melhor regra.

Meu tutuco é um amor de bebê quando saímos e quando pousa para a foto da mamãe...

Se comporta super bem nos lugares. É sociável e mexe com as meninas na livraria...

Mas, não dá para ganhar todas...
Ele come tão bem quanto os francezinhos, mas não esperem um pequeno lorde com guardanapo no colo, comendo de boquinha fechada!

Em cada batida do meu coração...

Meu coração ritmadinho e batendo atoa!

Tempo tempo, mano velho...

Eu e meus irmãos...
O ano: 1980
Eu 8, a Joseane 6 e o Fabiano 2... a Jú ainda não havia sido encomendada pela cegonha.

 O ano: 2002
Eu já havia perdido a minha "loirice original", a Josy continuava igual e o baixinho gordinho cresceu mais que as duas. A Jú estava em algum lugar que desconheço.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Por enquanto...



Não está pronto, mas aquele meu achado sensacional já tá no quarto do Tomás servindo para guardar alguns brinquedinhos. Ainda quero lixar, pintar ou revestir a peça antes de considerá-la pronta. Mas o destino dela será esse mesmo. Tem outras coisas que quero fazer nessa parede. Quando terminar tudo eu mostro um antes e depois.





domingo, 4 de maio de 2014

O primeiro achado a gente não esquece...

Acho que a minha empolgação com o blog da Thalita (Casa de Colorir), foi tamanha que já comecei a andar pelas ruas com um olhar mais atento. 
Ontem voltando do empório, que tem aqui perto de casa, eis que me deparo com essa belezinha de nicho jogado numa caixa para o lixeiro levar. E eu, que nunca na vida havia fuçado um lixo alheio, fiz a minha estréia no garimpo.
Ainda não sei o que vou fazer com ele, mas já tenho uma leve ideia.
Depois venho contar e mostrar como ficou!

Beijos!

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Vai uma ajudinha ai!?

E o meu dia hoje começou assim, ó:
Um montão de revistas pra arrumar e um pequeno que sabe fazer charme pra se livrar da bronca!
Quem resiste?





Projeto: minha sala, minha vida!

Apresento-lhes, minha sala!
Há exatos 8 anos me mudava para esse apartamento.
Na época pintei uma das paredes da sala de vermelho, que adorei! Só que depois de oito anos eu estou que já não aguento mais olhar para todo esse vermelho e a cara do James Dean. Quando tasquei tinta, vermelho tomate, sem o pudor na parede me disseram que eu ia enjoar logo. Bem, durante esse tempo todo convivi feliz da vida com a minha hemorrágica paredinha, mas agora deu! Além da parede, tem outras coisinhas me incomodando:




1 - Cortina:
Essa cortina não pode ser lavada mais nenhuma mísera vezinha. Na última lavagem, há um mês, a pobrezinha quase se desintegrou. Resultado de oito anos levando sol. 




2 - A tal e tão falada parede vermelha... e o James Dean me encarando o tempo todo.
O que fazer? Como fazer? Quando fazer?
Não esqueçam que eu tenho um bebê pequeno em casa (isso significa que pintura pode ser um tanto quanto complicado para fazer sozinha) e quase zero de $$ para o investimento... ai ai!







3 - Quadrinhos, quadrinhos...
Um aparador bacana prá caramba, mas que o quero em outro lugar... a mesinha de criança (que eu amo) que virou aparador e desde que comprei espera uma tinta tá sem graça demais!



4 - A TV tá implorando uma aposentadoria...
Mas, a Drizinha aqui disse que só compra uma nova quando essa pifar e ela é durona na queda!
E o sofá? Era lindão... até que duas felinas revoltosas colocaram suas máscaras, se engajaram no black blocks e mandaram ver com unhas e dentes no pobre coitado... Hoje em dia ele respira por aparelhos e até silver tape serve de band-aids!




5 - Revistas, revistas, revistas... e uma prateleira de vasinho fazendo vezes de mesinha lateral!





6 - A prateleira com os livros coloridos e os espelhinhos provençais... Tem também o tamanduá, feito pelos índios Zorós, meu São Francisco e a frô. 





7 - E o vaso da plantinha da mesa... tá pedindo uma corzinha, não acham?







8- Esse aparador era pra ser uma cristaleira...
Um dia será!















9 - Minhas cadeiras antigas... ainda estão esperando a reforminha prometida há um ano e meio.














10 - Por fim... as almofadas!
Extremamente carecidas de capas novas.









Tenho muito trabalho pela frente... enquanto a inspiração não chega, vou pesquisando por ai.
Sugestões?
Sempre bem vindas!

beijos todos!

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Lá em casa é assim...

Todo mundo que me conhece sabe que eu adoro inventar coisas para decorar a casa. É lata que vira vasinho, garrafa que vira vaso, caixa de louças que vira baú, resto de lã que vira almofada, quadrinho escolar que vira quadro de recados... Enfim, minha casa sempre foi um camaleão, cada dia de um jeito, cada jeito transformado o tempo todo. Desde que o Tomás nasceu, há um ano, nunca mais fiz nenhuma investida de decoração. Com um bebê pequeno em casa o tempo anda escasso, mas o bichinho da invencionice já começou a me roer... Estou cansada da sala, do banheiro e da cozinha e tenho que fazer algo. Faz 8 anos que olho essa parede vermelha e já deu! Não sei nem por onde começar. O tempo curto e a grana ainda não é algo com que posso contar muito para essas missões, mas tudo o que eu resolver fazer pretendo vir contar aqui. A minha casa, por enquanto, tá assim, ó:

hall de entrada e a tal parede vermelha

 na geladeira... cores

 na sacada... cores

 e um pouco de verde também...

 hoje em dia esse cactus tá enorme e a latinha meio desbotada


 meu bauzinho de caixa de louça que há anos espera uma tintinha

 eu tenho até uma florestinha particular!

 e tem milhares de cards espalhados pela casa

 na prateleira... cores

 o James Dean e a parede vermelha estão requerendo suas aposentadorias

 em maio de 2011 minha primavera floresceu um tantão assim!

 minha almofada de restos de lã... a modelo é a pink!

 minhas xícaras vermelhas de poá...

 a guardiã da sala... e destruidora de sofás!

 meu quadrinho de recados...

 o caminho da mesa... eu que fiz!

 um pouquinho de prazer que ninguém é de ferro

 a olívea que o mocinho do habibs me deu!

 fotos e cards é o que mais tem pela casa...

 o cantinho do café, que hoje abriga latas de leite do pequeno, mamadeiras e afins!

mais fotos e mais cards... esses são do quarto!

Sugestões?
Serão muito bem vindas!
Não exite em dar um pitaco!

beijos