quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Vertigem

Vertigem – d´OS GÊMEOS
Local: FAAP
Quando: Até 13/12

Nascidos em 1974, em São Paulo, os gêmeos idênticos Gustavo e Otávio começaram sua trajetória na street art em meados dos anos 1980, retratando as culturas regionais do Brasil nos muros de São Paulo. O trabalho da dupla está ligado a sua vivência na cidade, o grande melting pot cultural brasileiro. Centrada na construção de um imaginário próprio e peculiar, sua obra mescla elementos do folclore nacional com outros ligados ao desenvolvimento da arte nascida nas ruas. As telas seguem a tradição do retrato, com personagens centrais em padrões multicoloridos e envoltos numa aura surreal. As instalações oníricas incorporam carros, barcos e bonecos cinéticos gigantes à pintura de parede em grande escala.
Em 1993, OSGEMEOS começaram a participar de mostras coletivas. Seis anos depois, suas criações entraram para o cenário internacional da arte urbana contemporânea, e também do circuito comercial, no Reino Unido, França, Alemanha, Portugal, Espanha, Itália, Grécia, Holanda, Cuba, Japão, China, Austrália e nos Estados Unidos, onde são representados pela Deitch Projects, a mesma galeria de Keith Haring e Jean-Michel Basquiat.
Em 2007, OSGEMEOS foram convidados a pintar o castelo histórico de Kelburn, em Ayrshire, um dos mais importantes da Escócia. Em 2008, a dupla pintou a famosa fachada, às margens do Tamisa, do prédio da Tate Modern de Londres, templo da arte contemporânea internacional. Em junho deste ano, eles coloriram, em Nova York, o grande muro pintado por Keith Haring em 1982, que imortalizou o cruzamento da Bowery com a Houston. O trabalho, uma homenagem ao 50º aniversário do artista, rendeu à dupla excelente crítica de Roberta Smith no NY Times: “Um mural fantástico e épico; um sonho de felicidade traçado à melancolia. Realismo mágico”.
Impressões:Toda a exposição é linda, tocante e nos remete à algum lugar mágico, que para mim é o clipe do Smashing Pumpkins – Tonight Tonigh... tem as mesmas fantasias, as mesmas magias. O caleidoscópio gigante é o máximo, adorei me tornar parte dele. O farol, O Glamour de um carrinho são um espetáculo, mas o que realmente me tocou foi um cômodo mobiliado, que mexeu com todos os sentido: você pode se sentar no confortável sofá, enquanto vê os vídeos e ouve a belíssima “Mad Word” na voz do Gary Jules, enquanto reflete sobre sua vida. Adorei!

Nenhum comentário:

Postar um comentário