terça-feira, 12 de agosto de 2014

Dia desses no parquinho

Costumo levar o Tomás quase todas as tardes ao Parque, do Ibirapuera, ou então numa pracinha que tem pertinho de casa.

Numa dessas tardes chegamos no parquinho e demos de cara com uma garotinha linda, de uns 2 anos. Estava vestida dos pés à cabeça com coisas da Galinha Pintadinha. Devorava vorazmente um bombom e segurava na outra um pacotinho de bolacha recheada.

Tirei o Tomás do carrinho, tirei as meias dele, o soltei na areia e fui sentar para ler meu livro.

A garotinha foi se sentar num tapete repleto de baldinhos, pazinhas, bonecos, forminhas e mais um monte de quinquilharias... Obviamente o Tomás foi interagir. Mal chegou perto a menina começou a gritar: "não pega meus brinquedos!". Diante da recepção tão amistosa, Tomás deu meia volta e foi explorar outros cantos do parquinho.

Eu nem consegui ler nada. A garotinha, que mais parecia uma mistura de bebê de Rosemary e Exorcista, não parava de chorar, de gritar e atirar coisas na mãe dela.

O Tomás é um bebê bem sociável, mas brinca super bem sozinho. Naquele dia só tinha ele e a "oncinha" no parquinho, então ele ficou engatinhando, andando e explorando tudo à sua volta.

Coloquei ele algumas vezes para escorregar, deixei-o, como sempre, bem livre e à vontade.
Depois de mais um menos 1 hora e meia brincando ele começou a bocejar. Então eu o chamei e falei:
"Vamos pra casa fazer uma naninha?".
Ele estendeu os bracinhos e veio comigo sem a menor resistência.

Nisso, a mãe da garotinha estava juntando as coisas dela também para ir embora. Meu Deus do céu! A menina começou a chorar e gritar compulsivamente. Se contorcia toda, se atirava no chão, foi um horror.

Enquanto eu colocava o Tomás de volta no carrinho a mãe se aproximou de mim e puxou papo:

- Nossa! Eu estava reparando, seu bebê é muito calminho! Que sorte você tem, viu? A minha tá com 2 anos e eu já não sei mais o que fazer para ela se acalmar: já comprei tudo que é DVD pra ela assistir, sabe de cor todas as musiquinhas, já coloquei na aulinha de artes, de música, na natação, tudo para ver se ela gasta energia e sossega um pouco, mas não tem jeito, nem dormir mais à tarde, que ela sempre dormia, não dorme mais.

Eu apenas sorri amarelo...

Ela continuou:

 - Que idade ele tem?

Eu:

 - 1 ano e 3 meses!

Ela:

 - Você dá alguma coisa pra ele?

Eu:

- Como assim?

Ela: 

- Ahhh! Algum calmante, um chá?


Eu:

- Eu não, imagina! 

Ela:

- Mas o que você faz para ele ser assim tão calminho e bonzinho?

Eu:

 - Bem... Eu não estimulo muito ele. Deixo ele brincar a vontade, afinal tudo que tem à volta dele já é novidade e estímulo suficiente para ele que acabou de chegar. Ele nunca viu TV na vida dele, nenhum DVD e ainda nunca comeu açúcar... acho que é por isso.

Ela:

 - Mas nem a Galinha Pintadinha ele assiste?

Eu:

 - Não! Mas ele brinca no parque quase todo dia!


Ela:

 - Tadinho!


Um comentário:

  1. Hahaha tadinho? Quem é que estava mesmo reclamando da filha?

    ResponderExcluir